no image
Privacy Level: Open (White)

Jerônimo Barbalho Bezerra (abt. 1616 - 1661)

Capitão Jerônimo Barbalho Bezerra
Born about in PE, Brasilmap
Ancestors ancestors
Husband of — married [date unknown] [location unknown]
Descendants descendants
Died in Rio de Janeiro, RJ, Brazilmap
Profile last modified | Created 19 Aug 2011
This page has been accessed 999 times.

____________________________________________________________________________________________________________

Biography

Natural de Pernambuco, Jerônimo Barbalho Bezerra nasceu por volta de 1616, o que significa dizer que quando liderou o movimento fluminense, em 1660, estava com 44 anos, morrendo degolado aos 45. No mesmo ano em que seu pai morria, casara-se com Isabel Pedrosa, filha de João de Couto Carnide e Cordula Gomes. Como seu pai, dessas núpcias teve seis filhos: Jerônimo Barbalho, 1645; Felipe Barbalho Bezerra, 1647; Páscoa Barbalho, 1650; Luís Barbalho, 1651, que faleceu ainda menor; Micaela Pedrosa, 1653; Luis Barbalho, 1660. Tendo como parâmetro a genealogia de Carlos Rheingantz, todos os filhos de Jerônimo Barbalho nasceram na cidade do Rio de Janeiro, porém os seus netos, principalmente daqueles nascidos do casamento de suas filhas, possuíam ligação com a região gonçalense.”

Não possuímos nenhuma referência que nos possibilite afirmar com certeza que Jerônimo havia ocupado algum cargo ou recebido alguma mercê na região fluminense, nem muito menos constatamos sua participação na câmara de vereadores. Segundo Rheingantz ele era capitão, mas o mesmo não mencionou quando Jerônimo Barbalho havia recebido essa titulação. Por outro lado, sua lgação com a região gonçalense pode ser confirmada pelo alvará régio, que recriava da freguesia de São Gonçalo, em 1647. Jerônimo Barbalho em citado entre os ilustres sesmeiros que a partir daquela data desmembravam-se da freguesia da Sé para fazer parte da freguesia de São Gonçalo de Amarante."

Entre a sombra e o sol - a revolta da cachaça, a freguesia de São Gonçalo do Amarante e a crise política fluminense, pp. 187-188. (http://www.historia.uff.br/stricto/teses/Dissert-2003_CAETANO_Antonio_Filipe_Pereira-S.pdf : accessed 14/04/2013)


Jeronimo Barbalho Bezerra casou-se com Isabel Pedroso, filha de Joao do Couto Carnide e Cordula Gomes. O primeiro casal teve 6 filhos: Jeronimo, nascido em 1645; Felipe, 1647; Paschoa, 1650; Luis, 1651 (falecido crianca), Micaela, 1653 e Luis, 1660.

Alem de Paschoa, pode-se encontrar na internet informacoes de casamento e descendencia apenas de Michaela Barbalho Bezerra Pedroso. Ela casou-se com o portugues Joao Batista de Matos, natural de Lisboa, e os instrumentos eletronicos informam que deixou “um ramo Barbalho Bezerra em Santa Catarina”, verifique, entre outros:http://www.geni.com/people/Micaela-Barbalho-Bezerra-Pedroso/6000000011624035097.

...

Jeronimo Barbalho Bezerra eh, por enquanto, um misterio a ser decifrado. Varias literaturas que visitei o mencionam como filho do Luiz Barbalho Bezerra mas nenhuma menciona o nome da mae dele. Presume-se que teria sido D. Maria Furtado de Mendonca mas presuncao nao eh ciencia exata. Pode tambem nao ser. Alias, na genealogia baiana ela encontra-se como mae de seis filhos. Em ordem de nascimentos: Agostinho, Guilherme, Fernao, Antonia, Cosma e Francisco Monteiro. Nao ha Jeronimo, Celia, e Cecilia, que alguns autores consideram como filha ou parente proxima e nao nora.

E isso talvez seja o indicativo da existencia de uma outra familia que o Luiz Barbalho Bezerra possa ter tido e tenha ficado esquecida pelos historiadores. No site geneall.net Portugal os nomes postos para pais de Maria Furtado de Mendonca sao: [Pedro Carreiro Salema] e [Maria Nunes de Andrade]. Estes nomes contradizem toda literatura brasileira que consultei e que afirma serem: Aires Furtado de Mendonca e Cecilia de Andrade Carneiro.

Ha duas hipoteses que podem lancar luz a essa questao. Pedro Carreiro e Maria Nunes poderiam ter sido Cristaos-Novos e terem sido obrigados a converter-se ao catolicismo pelo primeiro visitador da Inquisicao no Brasil e terem sido batizados com os nomes que permaneceram na genealogia brasileira. A visita de Heitor Furtado de Mendonca a Pernambuco se deu em 1595, ano do suposto nascimento de Maria Furtado de Mendonca. O pai dela poderia ter adotado o nome de batismo de Aires Furtado de Mendonca para provar a conversao completa e submissao ao inquisidor. Esta hipotese, embora pareca lunatica, nao foge `a realidade da epoca. Ele teria que optar entre a submissao e as tortura e morte.

Contudo, penso que o mais provavel ter acontecido eh os diligentes mantenedores do site http://www.geneall.net Portugal terem cometido uma distracao e nao ter observado a discrepancia. [Pedro Carreiro Salema] e [Maria Nunes de Andrade] realmente poderiam ter sido sogros do Luiz Barbalho Bezerra num possivel primeiro casamento deste. Como era muito comum acontecer de as mulheres falecerem durante ou posterior ao parto, em consequencia dos riscos para a epoca, ele poderia ter ficado viuvo antes do casamento com Maria Furtado. Neste caso, os genealogistas do GeneAll.net podem ter se enganado e dado por pais `a esposa trocada.

Essa hipotese poria luz `a necessidade de o Jeronimo Barbalho Bezerra ter nascido mais proximo dos anos 1600 para que em torno de 1625 pudesse ter-se tornado pai de Agostinho Barbalho Bezerra (o sobrinho), tambem em um possivel primeiro casamento ou, senao, num caso simples de convivio extra-marital, muitissimo comum `a epoca. Somente assim um suposto “filho do governador Jeronimo Barbalho Bezerra” teria idade para casar-se com d. Beatriz de Lemos, batizada em 1627.

Esta hipotese tambem poria luz no sobrenome Carreiro para a filha de Luiz Barbalho Bezerra, Celia. Ou seja, ela seria irma completa do Jeronimo e meio-irma dos outros acima mencionados. Quanto `a Cecilia, nao ha explicacao alguma para ela ter sido filha do Luiz. Porem, podendo acontecer de terem sido duas Cecilias. A Barbosa, suposta esposa do Agostinho Barbalho Bezerra, tio; e a Barbalho, a viuva que tornou-se a mentora intelectual da criacao do primeiro Convento feminino da Cidade do Rio de Janeiro. O que penso eh que elas sejam uma unica pessoa.

A HERANCA FURTADO DE MENDONCA NO BRASIL January 17, 2013 (http://val51mabar.wordpress.com/ : accessed 14/04/2013)



Jerônimo Barbalho Bezerra

État civil

  • Né - PE,Brasil

Parents

  • Luís Barbalho Bezerra
  • Maria De Mendonça

Mariage(s) et enfant(s)

  • Marié avec Isabel Pedroso 1631 (Parents : João Do Couto Carnide & Córdula Gomes) , dont
  1. Micaela Barbalho Bezerra Pedroso 1653

Notes:

  1. Name Prefix: Cap.

Genealogia da Família SILVEIRA <http://gw5.geneanet.org/index.php3?b=valdenei&lang=fr;p=jeronimo+barbalho;n=bezerra;oc=1>


A REVOLTA DA CACHAÇA (1660-1661)

No dia 8 de novembro de 1660 explodiu a revolta, liderada por Jerônimo Barbalho Bezerra, Filho de Luís Barbalho Bezerra, que governara o Rio de Janeiro (1643-1644) e se destacara na luta contra os holandeses.

Por que a revolta?

Basicamente por causa do peso da tributação estabelecida. A isso se juntou o fato de o govemador favorecer abertamente seus parentes, arrivistas e sem escrúpulos, ele próprio sendo acusado de tirania, de peculato e de manter ligações escusas com donos de casas de jogo. Além do mais, os Sá e Benevides tinham como aliados os jesuítas, contra os quais existiam fortes animosidades porque eram defensores da liberdade dos indios.

O govemador interino foi deposto e recolhido preso à fortaleza de Santa Cruz, após fracassar sua tentativa de se asilar no mosteiro de São Bento. Em meio ao tumulto, realizaram-se eleições para escolha de novos integrantes do Senado da Câmara (ou Câmara Municipal) não vinculados à família ou à clientela dos Benevides. Nomeou-se governador Agostinho Barbalho Bezerra, irmão do líder dos sublevados (8 de novembro de 1660).

Contando com o apoio da guarnição militar, os revoltosos enviaram para Portugal muitos dos aliados do governador Salvador Correia de Sá e Benevides.

A população revoltada chegou a saquear imóveis dos Correia de Sá e, quando o Senado da Câmara descobriu manobras conciliatórias do recém-eleito Agostinho Bezerra, destituiu-o do cargo e assumiu o governo da cidade, em fevereiro de1661.

Contudo, Salvador Correia habilmente retomou ao Rio de Ianeiro, quando pôde contar com a ajuda de forças militares vindas do reino. De surpresa, invadiu a cidade e reconquistou o poder em abril de 1661.

De imediato, designou o desembargador Antônio Nabo Pessanha para abrir devassa, sendo apontados Jerônimo Barbalho Bezerra e Jorge Ferreira Bulhões como chefes da revolta. O primeiro foi condenado à morte e, a 10 de abrilde 1661, enforcado no Largo do Polé, hoje Praça XV de Novembro. Em seguida, como prática usual da justiça colonial, foi decapitado a machadadas, tendo a cabeça ?cado exposta no pelourinho existente próximo à forca.

Outros participantes da revolta foram postos a ferros e ?caram presos por alguns anos em presídios em Portugal, até serem pcrdoados e voltarem ao Brasil. A exceção foi Jorge Ferreira Bulhões, que, devido a maus tratos, faleceu na prisão de Limoeiro.

No entanto, a corte havia designado outro governador, e sua carta de nomeação era dirigida a Agostinho Barbalho Bezerra (l° de julho de 1661), o que evidenciava o enfraquecimento político do velho oligarca.

Como Pedro de Melo assumiu o cargo somente em 29 de abril de 1662, Salvador aproveitou esse prazo para realizar um dos seus projetos: a construção de um barco de grandes proporções (o maior do mundo. diziam): o Padre Etemo - que deu nome à ponta do Galeão, na Ilha do Govemador. Mas não ousou impor novamente os tributos. e não conseguiu antes de alguns anos levantar o seqüestro que fora imposto às suas propriedades pelos oficiais da Coroa (...) Salvador nunca mais voltou aoBrasil (...) Mais tarde (...) obteve para os seus Filhos a outorga de Capitanias na antiga de São Tomé (Paraíba do Sul): aí fundaram-se as Vilas de São Salvador de Campos (hoje cidade deste último nome) e de São João da Barra."

(BUARQUE DE HOLANDA, SERGIO, História Geral da Civilização Brasileira, tomo I, 2° volume, op. cit., págs. 17 e 18.)

Leão de Aquino, Rubim Santos - Sociedade brasileira: uma história. pp. 292-294. <http://books.google.com.br/books?id=XAgA5-L3P2kC&pg=PA293>



25. Micaela Barbalho Bezerra Pedroso foi batizada em 18 maio 1653 em Rio de Janeiro-RJ (Sé).

...

50. capitão Jerônimo Barbalho Bezerra nasceu em Pernambuco. Ele casou-se com Isabel Pedroso.
51. Isabel Pedroso foi batizada em 1 junho 1631 em Rio de Janeiro-RJ (Sé) .

...

100. Luís Barbalho Bezerra casou-se com Maria de Mendonça.
101. Maria de Mendonça.




More Genealogy Tools



Sponsored Search




Is Jerônimo Barbalho your ancestor? Please don't go away!
 star icon Login to collaborate or comment, or
 star icon contact private message the profile manager, or
 star icon ask our community of genealogists a question.
Sponsored Search by Ancestry.com

DNA
No known carriers of Jerônimo Barbalho's DNA have taken a DNA test.

Have you taken a DNA test? If so, login to add it. If not, see our friends at Ancestry DNA.

Sponsored by Ancestry ®

Family History Search.

Simplified.

Enter a grandparent's name. Just one grandparent can lead you to many discoveries.

Comments

Leave a message for others who see this profile.
There are no comments yet.
Login to post a comment.

B  >  Bezerra  >  Jerônimo Barbalho Bezerra